14 maio, 2008

Diagnóstico



Meu silêncio grita. Em voz baixa, em dó menor, como canta Chico. Só que desta vez calado, sem grandes discussões a respeito. Não tenho muito a dizer, embora o corpo fale por si, só para mim, em movimentos que regurgitam uma dor de natureza estranha, sem remetente, sem endereço.

A cabeça, essa pulsa com o tanto que pensa, embora eu tenha notado um cansaço inoculado há meses e que só agora veio a germinar. E meus olhos já não vertem mais nada. Eles se apresentam ao mundo pequenos e levemente intactos. Estou frio e seco, como previa – e temia.

Resta agora o coração, ainda nebuloso diante de tantas reações que se reverberam intermitentemente. Talvez esteja negligenciando esse diagnóstico, para ver de que forma o tempo nele age. Não dizem por aí que esse é o melhor remédio?


12 comentários:

Anônimo disse...

Belo blog! =)

[P] disse...

Passando para saber se o senhor melhorou e para lembrar que, caso não tenha melhorado, sabe o que precisa fazer, certo?

Quanto ao coração, às vezes é melhor deixar o tempo agir mesmo...

Fica bem, tá?

Beijo.

FlaM disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Leila Saads disse...

Não sei se é esse o melhor remédio, mas se entregar com certeza é o pior.

Belíssimo texto, gosto muito da sua forma de escrever, muito mesmo.

Beijos!

Camilinha disse...

E, é preciso ficar calado,
É preciso não dizer nada, às vezes.
É preciso, muitas vezes,
Recriar invenções...
Deixar prá lá devaneios
E apenas sentir
No balanço do corpo
A respiração...

beijos daqui...

Anônimo disse...

Há um conflito no ar
No peito!
Tempo ainda é meu remédio favorito
Para questões confusas e conflitantes!
Silencia e espera!
A calmaria virá!

Clarice Lis disse...

Daniel, ao contrário do que dizem o tempo só faz passar, o resto, o que importa, é conosco. O diagnóstico é parte da cura. A cura pra mim está nas palavras, mesmo as ditas em silêncio. Desejo que doa menos e que a cura chegue em breve.

Tiago Moreira disse...

Dias difíceis meu caro, também passo por dias pesados ultimamente, por vários motivos.

Me solidarizo contigo e desejo-lhe força!

Belo escrito, forte melancólico.

Abraços.

Pedro Gabriel disse...

eu sou especialista em berrar em silêncio. O tempo é o melhor remédio e o pior veneno também hehe

Por falar em tempo,fazia tempo que não passava por aqui, reli os que não havia lido e amei "Pedaços de Mar", lindo lindo.

grande abraço, força.

Bárbara M.P. disse...

É de se sorver cada frasesinha cuidadosamente posta aí, Daniel... de uma inteligência e de um espírito encantador.

Muito bom mesmo, menino.

Ótima semana,
Bárbara

Clara Mazini disse...

A gente precisa aprender a deixar com que elas saiam por aí, porque geralmente são péssimas companhias...

Carlos Otoni Rabelo Paula disse...

Amigo!
Já estava com saudade dessa velha casa!

Como sempre, me identifico demais com suas letras.

Estas então, curtas e precisas!

Beijo grande.