30 maio, 2008

Obra de arte


O oleiro visita todos os dias o quarto onde guarda a estatuaria feita por suas próprias mãos ao longo dos anos. De formas e tamanhos variados, de barro moldado ou pedra cinzelada, as obras por ele expostas representam, uma a uma, parte de um passado vivido e ainda sensivelmente reverberado naquele homem. Dores, alegrias, medos, reminiscências: estão ali alguns fantasmas e outros etéreos de sua vida, erigidos ao sabor ou dissabores das experiências que teve. Ainda que incólumes enquanto esculturas, elas indicam no conjunto o movimento de quem caminhou – e ainda ruma – pelos trilhos de uma maturidade há muito perseguida. Cada talha feita ou destroçada com o tempo, cada sobra de material caída ao chão evidencia o esforço do oleiro em alçar seu espírito à própria renascença. A estatuaria é seu altar votivo, de um passado consagrado que impõe ao oleiro, diariamente, um novo olhar sobre o presente. Esta é sua forma de fazer arte.



“Eis, portanto, um oleiro que amassa laboriosamente a terra mole, e forma diversos objetos para nosso uso, mas da mesma argila faz vasos destinados a fins nobres e outros, indiferentemente, para usos opostos. Para qual destes usos cada vaso será aplicado? O oleiro será o juiz”.
[Da Bíblia]

9 comentários:

[P] disse...

Acho que todos somos um pouco oleiros, a partir do momento em que temos nossas vidas em nossas próprias mãos, para deixarmos nelas marcas, todos os dias.

Beijo, Daniel.

Leonardo Werneck disse...

Gostei daqui, voltarei mais vezes.
Abraços

BABI SOLER disse...

Linda foto!

a casa da mariquinhas disse...

Oleiros que somos, todos nós, vamos modelando nossas obras de arte, ao longo da vida.
Gostei muito deste post, e mais ainda do anterior - "ladrilhos".
Voltarei, para ver o resto.
Bjs
Mariazita

Carol Timm disse...

Daniel,

A vida é uma obra de arte e alguns já conseguem ver a beleza nas pequenas e grandes maravilhas desse mundo...

Temos que compor todos os dias, para registrar tanta beleza!

Beijos,
Carol

Tudo ou nada ... disse...

Lindo demais este post
Abração

Clarice Lis disse...

queria ser como seu oleiro e moldar com minhas próprias mãos tantas obras ... vida ... peças ... arte.

Mimi disse...

ah, é como ver o diamante, na rocha!

lindíssimo!

beijos

Dauri Batisti disse...

Palavras boas de ler, de pensar. Valeu.