18 junho, 2008

Inequação
















Com você quero me transformar em nós
Somos dois mais um que quando somados
Fica igual a dois em um só corpo
Somos iguais, mesmo sem você tão mais por perto
Por isso, deixe-me ao menos dividir contigo
Uma saudade multiplicada aqui dentro
Com certa dose de dor que ainda teimo em fracionar
A passos largos, vagarosos e nada rasos
[Porque o amor sabe aferir o cálculo da distância]



[Na mente, o drama de Chico reverberado na voz de Zizi, sobretudo nesta estrofe: “Oh, pedaço de mim / Oh, metade exilada de mim / Leva os teus sinais / Que a saudade dói como um barco / Que aos poucos descreve um arco / E evita atracar no cais”]


5 comentários:

Entre o Fascínio e o Pensamento disse...

Nossa, só me é permitido dizer que é belo e devorador.

Silencio-me!

Abraço.

Dry Neres.

Anônimo disse...

bom dia!
gosto muito do seu blog!
sou adm. do blog “o fogo anda comigo”(thefirewalkswithme.blogspot.com).
o blog tem como ideal um SARAU AMPLIFICADO onde TODOS divulgam suas ideias e, o principal, poemas.
gostaria de ser um parceiro seu!
me responda no email ofogoandacomigo@yahoo.com.br.
OBRIGADO!

Patrícia disse...

Quanto querer e quanta poesia...
Lindo!
Beijos

 Fabíola Weykamp disse...

Aqui tento transferir a ti, em resumidas e humildes palavras o que senti ao ler essa linda poesia, se assim posso chamá-la, ritmada com essa bela canção: 'que a pesar de tudo, subtrações e divisões e até mesmo das tantas vezes multiplicada por um,o amor, sutilmente despreza o tempo, e a distância entre dois corações.'
Renovadas esperanças, e um brilho emocionado nos olhos,e lábios. Obrigada!

mirianne disse...

Só sei que toca aqui, a alma.
Bela.